Renegociar Aluguel Coronavirus

Como renegociar o aluguel na quarentena

Sem dúvidas, a economia está sendo afetada com a pandemia causada pelo coronavírus. Sendo assim, os empresários estão em busca de soluções para enfrentar esse desafio. Uma das maiores preocupações nesse momento é como manter o pagamento do aluguel diante da queda de receita em consequência das medidas de isolamento social para frear a pandemia.

Informação, eficiência, organização e planejamento são fundamentais para manter a operação com o menor impacto negativo possível.

Dicas para negociação com o locador

1. Negocie extrajudicialmente a revisão do valor do aluguel

Ao se sentir impactado pela crise, o melhor a fazer é já negociar com o locador uma revisão do valor do aluguel para garantir a sobrevivência do negócio. Para o dono do imóvel, a negociação é melhor do que o encerramento do contrato nesse momento de instabilidade, que pode gerar vacância do ponto.

De acordo com a Lei do Inquilinato, no seu artigo 18, é possível a qualquer momento, em comum acordo, um novo valor do aluguel, inclusive modificando a cláusula de reajuste anual.

Assim, você e o locatário podem acordar, por exemplo, a concessão de desconto no aluguel, por prazo determinado, ajustando um valor que seja proporcional ao tempo de baixa nas vendas.

Uma outra saída é ajustar um desconto por prazo determinado, com prorrogação do pagamento do valor para período posterior. Por exemplo, desconto de 50% no valor do aluguel por três meses. Os outros 50% serão pagos depois desse período.

Para ter segurança para as duas partes (locador e locatário), a negociação não pode ficar só no boca a boca. Portanto, ela precisa ser através de um meio formal. É necessário documentar, podendo ser com notificação extrajudicial, e-mails e etc.

2. Acordo x Cláusula contratual

Há contratos em que o locatário renuncia ao direito de revisão do valor do aluguel, mas o artigo 54-A, §1º da Lei de Locações possibilita que um acordo entre as partes altere essa regras. Então, se você estiver nessa situação, negocie!

3. Interrupção do pagamento

Caso não haja consenso com o locador do imóvel sobre a revisão do valor do aluguel, é possível pedir na Justiça um prazo de carência no pagamento. No entanto, o artigo 19 da Lei de Inquilinato só prevê essa possibilidade em casos excepcionais (como a pandemia), e a ação só pode ser ajuizada por locatários com contratos com três anos já decorridos ou mais.

Para isso, é recomendado que o empreendedor apresente provas da queda do faturamento ou da queda do valor de aluguéis de imóveis semelhantes ao seu, o que pode ser demonstrado por meio de perícia.

4. Aluguel provisório

Ainda de acordo com a Lei do Inquilinato (artigo 68), durante a discussão das cláusulas do contrato a serem revisadas, o juiz pode fixar o valor provisório do aluguel, que não pode ser menor do que 80% do vigente, até que o processo judicial seja julgado definitivamente.

 

Recomendado só para você!
Muitos empreendedores estão tendo dificuldades financeiras causada pela pandemia do…
Open chat